7 Tecidos sustentáveis que vão tornar seu guarda-roupas mais eco-friendly

7 Tecidos sustentáveis que vão tornar seu guarda-roupas mais eco-friendly

13/03/2017 • Moda Sustentável

Share Button

Moda é um assunto fascinante e ao mesmo tempo complexo que envolve diversas áreas e expertises. Por exemplo, os tecidos que compõem as roupas que usamos podem ter um impacto positivo ou negativo no meio ambiente e, consequentemente, em nossas vidas.

Conhecer melhor os “ingredientes” daquilo que compramos é essencial para fazermos escolhas mais conscientes e assertivas, e com nossas roupas não é diferente.

Aqui selecionamos 7 tecidos eco-friendly, cujo impacto no meio ambiente é neutro ou positivo, desde seu cultivo até sua fabricação.

 

1)Bambu: O bambu é uma erva resistente, altamente renovável e geralmente é cultivada com poucos insumos químicos. O tecido também tem propriedades antibacterianas naturais, respira e é biodegradável.

Atenção para o tecido chamado de “Rayon de Bambu”, derivado parcialmente da fibra de bambu e que utiliza grande quantidade de produtos químicos agressivos ao meio ambiente para sua produção. Por tanto, devemos ficar ficar atentos com a forma como esse produto é fabricado. Algumas órgãos fiscalizadores (veja aqui) certificam tecidos – desde plantio até fabricação – e ajudam numa compra segura.

 

2) Algodão orgânico: Mais de 25% dos pesticidas do mundo são usados na produção de algodão convencional. O algodão orgânico é cultivado sem insumos químicos tóxicos e sintéticos.

Procure também corantes naturais ou algodão colorido para reduzir ainda mais a quantidade de produtos químicos despejados em nosso ecossistema.

 

3) Cânhamo: O cânhamo é rapidamente renovável, requer pouco ou nenhum pesticida, cresce sem adubo, requer atenção mínima, requer menos água, seu plantio para uma mesma área rende 3 X mais que o algodão (veja aqui), não danifica os nutrientes do solo e é fácil de colher.

Além disso, as propriedades do tecido de cânhamo são muito boas: 5 X mais resistente que algodão, antibactericida e isolante térmico.

 

4) Poliéster reciclado: Esta fibra química é feita a partir de PET – poliéster desmontado de garrafas de refrigerante – resultando numa emissão de carbono que é 75% mais baixa do que o poliéster virgem. O processo requer de 33 a 53% menos energia que poliester convencional, além de impedir que as garrafas PET tenham como destino os aterros sanitários. Outro benefício é que as roupas criadas a partir de poliéster reciclado podem ser recicladas repetidamente sem perda de qualidade, permitindo minimizar o desperdício, dentro de um circuito fechado.

Vale salientar que o poliéster reciclado contém tóxico antimônio, mas algumas empresas estão trabalhando em removê-lo de seus tecidos.

 

5) Seda de soja: Sua fibra é obtida a partir das sobras da indústria de alimentos da soja, dentro de um ciclo de otimização de insumos. Suas fibras são 100% biodegradáveis e altamente renováveis, sendo que após o uso a roupa poderia ser deixada para compostagem. Seu tecido é leve e macio, sendo bastante respirável e fresco e devido às suas características também é conhecido como cashmere de soja.

Vale lembrar que a produção da soja deve ser orgânica para um menor impacto ambiental.

 

6) Tencel: Este tecido é obtido através da polpa de madeira natural da celulose e é totalmente biodegradável. Utiliza produtos químicos menos tóxicos em sua fabricação, em um processo chamado de malha fechada.

Além disso, sua fabricação utiliza “pasta de madeira” certificada pelo Forest Stewardship Council.

 

7) Lã: A lã é renovável, biodegradável e reciclável, além de resistente ao fogo e não precisa de insumos químicos. A lã orgânica está cada vez mais disponível, sendo produzida com práticas agrícolas sustentáveis e sem tratamentos tóxicos do pêlo do animal.

Imagem destaque reprodução via: aqui

Deixe uma resposta