Moda, design e economia circular

Moda, design e economia circular

10/08/2017 • Moda Sustentável

Share Button

O termo economia circular pode ser novidade para muitos de nós, mas na verdade esse conceito já é bastante desenvolvido na Europa, América do Norte e Ásia. A economia circular baseia-se no estudo de sistemas ricos em feedback (não-lineares). Um dos principais pilares é a noção de otimizar sistemas ao invés de componentes, ou a noção de “design para ajuste”.

Nossos processos industriais lineares trabalham no modelo “pegar, fazer, eliminar” e a economia circular traz a ideia de “fecharmos” esse ciclo. Utilizando o design como uma das principais ferramentas, a economia circular propõe criarmos novas práticas e novos modelos comerciais. O objetivo é maximizar a longevidade e durabilidade do produto através de várias prioridades de design e sourcing, e também apoiar serviços de reparo, redesenho e reciclagem.

O conceito de economia circular foi levantado pela primeira vez por dois economistas ambientais britânicos David W. Pearce e R. Kerry Turner em 1989. Posteriormente temos Walter R. Stahel, arquiteto, economista e pai fundador da sustentabilidade industrial e do termo “Cradle to Cradle” que começou a trabalhar em cima de um modelo de produção “fechada” ou circular.

Segundo o site Circular Fashion em essência, uma economia circular implica que todos os materiais e produtos da sociedade são usados ​​e circulam entre seus usuários o maior tempo possível, de maneira ambientalmente segura, eficaz e justa. Desperdiçar, como sabemos, não existe. Em vez disso, os resíduos são vistos como um recurso ou como “nutrientes” para que outros processos ocorram na sociedade. Os recursos naturais, incluindo a energia, são usados ​​de forma eficaz durante a produção e o consumo. O uso de materiais virgens é mantido no mínimo. Além disso, as fontes de energia renováveis ​​são priorizadas e qualquer impacto ambiental indesejado é impedido ou minimizado.

Segundo a Fundação Ellen Macarthur, uma economia circular é restauradora e regenerativa pelo design e visa manter produtos, componentes e materiais com a maior utilidade e valor em todos os momentos. O conceito distingue entre ciclos técnicos e biológicos.

A moda também já aderiu ao modelo circular e muitas marcas já nascem alinhadas a este conceito. É o caso, por exemplo, das marcas 3JNS e Limited Edition – entrevistadas anteriormente aqui no site.


Imagem destaque: reprodução via

Deixe uma resposta